Recensão Eleitoral

Como encher 12 horas de emissão?

two black cats looking outside a glass window

por Tiago Franco // Janeiro 30, 2022


Categoria: Opinião

minuto/s restantes


Chegámos finalmente ao dia das decisões. O dia em que as televisões sofrem a bom sofrer na procura de material para encher 12h horas de emissão, até que os resultados sejam conhecidos.

À hora a que escrevo já recolhi uma enormidade de informações que podem, quiçá, ajudar alguns indecisos. Ou então não.

Marcelo Rebelo de Sousa votou em Celorico de Basto, como é habitual, a terra onde tem amigos e de onde era a sua avó Joaquina. Rui Rio votou na escola do Bom Sucesso, mesmo ali ao lado de casa no Porto. Vai almoçar, ficou a dúvida se seria carne ou peixe, e depois seguirá para Lisboa por uma das três auto-estradas possíveis, desenhadas num paralelo surreal para um percurso de 300 quilómetros e que, como se percebe, são bem mais úteis para o país do que o descongelamento das carreiras dos professores.
Alguém lhe disse que era mais barato vir na TAP, mas ele recusou para não deixar cair a nódoa no pano do populismo mesmo a chegar à meta.

O Chicão é meu vizinho, e eu não sabia. Julgo que é uma notícia relevante para todos vós. Foi votar no Lumiar e seguiu para um repasto com a família, composto de carne bem selvagem caçada com a ajuda de perdigueiros na mata de Monsanto. Mais tarde vai à missa, em princípio, pedir ao Criador que lhe safe a pele quando o táxi se reduzir a uma trotinete.

text

Já Ventura ensaiou o voto, sim, ensaiou, porque saiu e entrou novamente para dar tempo aos repórteres de imagem de captarem aquele belo fato e gravata. Quantos de nós, portugueses de bem, não damos o passeio matinal de fim-de-semana equipados com Armani?

Enquanto fazia um compasso de espera, a jornalista da CNN informava-nos que Ventura chegara ao Parque das Nações, à sua secção de voto, ao volante de um Mercedes.

Percebe-se agora a embirração com a malta do RSI. Desde pequeno que o André não gosta de partilhar brinquedos. Depois do almoço com a família e dos telefonemas com a Le Pen, conta também ir à missa para fazer a penitência. Não esclareceu se seria na mesma igreja do amigo Chico.

Costa já votou há uma semana e por isso foi apenas passear os cães junto às câmaras da RTP. Não vi saquinhos na mão e por isso, deduzo, que o resultado da caminhada tenha ficado espalhado na calcada portuguesa. Mas é especulação, admito. Inês Sousa Real podia vir atrás a limpar de forma discreta.

Já mais ofuscante foi aquele casaco que a líder do PAN usou para se proteger do frio. Eram penas de pato, Inês? Daqueles que acabam envoltos em arroz e rodelas de chouriço? Vá lá que não comemos cães.
João Cotrim Figueiredo conseguiu hoje o seu melhor e mais sincero momento de campanha. Disse que estava muito bem disposto, que lá fora havia sol e que os confinados podiam votar. Tudo verdade, tudo real, pura liberdade. Muito bem, João.

person in blue denim jeans and white sneakers standing on gray concrete floor

Catarina Martins deu um salto a Vila Nova de Gaia para meter o voto na urna e aproveitou o momento para fazer um pouco de campanha, mantendo o mesmo tom ensaiado de discurso dos últimos 20 dias. Denota alguma dificuldade em sair da personagem.

Já Jerónimo de Sousa parece não conseguir entrar na personagem, por mais que tente. Estava tão cansado depois de votar que, ofegante, conseguiu a custo prestar declarações. Simpatizo com Jerónimo e por isso desejo que se recupere o quanto antes. E já agora, assim que estiver na plenitude física que os seus 75 anos permitem, espero que se reforme e aproveite o que a vida tem para lhe oferecer, para lá da liderança do PCP.

Todos os líderes políticos disseram hoje, a uma só voz, que era seguro ir votar e que mesmo os infectados deveriam sair de casa, a bem da democracia.

Não poderia estar mais de acordo com eles. Gostava apenas que, amanhã, fosse qual fosse o governo, mantivessem essa coerência e deixassem cair as regras de segregação, com testes e certificados, que impõem aos emigrantes em cada regresso a casa.

Para lá do desfile e palavras de ocasião com que as televisões tentam aquecer o dia, há uma informação de facto relevante. Segundo a última sondagem (Pitagórica), o terceiro lugar neste momento pode ser do Chega, BE ou CDU, algo que parecia garantido para Ventura nos últimos 15 dias. Segundo a mesma sondagem, ao PS dificilmente escapará a vitória, restando saber o número de deputados. Neste momento o melhor cenário, em que não acredito, prevê 113.

Volto depois de serem conhecidos os resultados.

Engenheiro de desenvolvimento na EcarX (Suécia)


Décimo quarto episódio da Recensão Eleitoral (30/01/2022) – Como encher 12 horas de emissão?


N.D. Os textos de opinião expressam apenas as posições dos seus autores, e podem até estar, em alguns casos, nos antípodas das análises, pensamentos e avaliações do director do PÁGINA UM.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.

O problema imigrante é um problema que se mete no bolso alheio. Eu coloco-te um pico nas calças que te pica ...

Algumas pessoas conseguem ver a chuva. Todas as outras apenas se molham. Bon Marley Aqui no Largo há poucas pessoas tão ...