COISAS & CAUSAS

Um gigante abandonado… porque somos ricos

black Fayorit typewriter with printer paper

por José Ramos e Ramos // julho 30, 2022


Categoria: Opinião

minuto/s restantes


Um gigantesco prédio moderno de nove pisos está abandonado, há dez anos, ao início da Avenida da República, em Lisboa, como se fossemos todos ricos.

A confusão entre mercado imobiliário especulativo e Economia tem embaraçado a Câmara Municipal de Lisboa, que não expropria o edifício em esqueleto para o levar a leilão. Para um privado o repor no mercado.

O edifício pertence, segundo consta, à Sonangol, e tem um erro de construção para escritórios: o pé-direito é baixo e não permite tecto falso para cabos.

Este enorme elefante atesta que os “xico-espertos” podem esbanjar recursos. E depois ignorar as leis mais simples do capitalismo em Lisboa: quem tem dinheiro compra, quem não tem vende.

Os donos daquele esqueleto, que é uma ferida profunda na cidade, preferem ter um depósito bancário a céu aberto, porque o dinheiro no banco… não rende nada!

José Ramos e Ramos é jornalista (CP 214)


N.D. Os textos de opinião expressam apenas as posições dos seus autores, e podem até estar, em alguns casos, nos antípodas das análises, pensamentos e avaliações do director do PÁGINA UM.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.