COISAS & CAUSAS

A senhora Merkel e os consumidores de gás

black Fayorit typewriter with printer paper

por José Ramos e Ramos // agosto 3, 2022


Categoria: Opinião

minuto/s restantes


Portugal faz parte de um labirinto europeu agora revelado pela invasão da Ucrânia pela Rússia: estamos na mão de Moscovo em matéria de gás e petróleo…

Não sabíamos, e agora, inclusive, vamos acolher Angela Merkel, arquitecta do maquiavélico plano.

Merkel fez até um gigantesco gasoduto submerso entre a Rússia e a Alemanha: o Nord Stream.

Angela é um argumento digno do escritor John Le Carré, autor de O Espião que veio do frio. Fosse ele vivo…

Os alemães já perceberam (tarde), mas nós, como somos parvos, premiámos a senhora com a presidência do júri do Prémio Gulbenkian para a Humanidade (que só serve para esbanjar dinheiro).

Angela Merkel foi, durante os últimos 16 anos, a “primeira-ministra” da Alemanha, que agora vai cobrar aos consumidores uma taxa sobre o consumo de gás.

Merkel meteu a União Europeia na boca energética directa da Rússia.

Se ela fosse uma simples cidadã, seria apenas um disparate.

Mas o currículo de Angela é extenso e determinado. Começa na Revolução de 1989, quando se tornou porta-voz do primeiro governo democraticamente eleito na Alemanha Oriental, liderado por Lothar de Maizière.

O mais curioso, aconteceu logo em 1954, quando, com menos de um ano, foi com o pai pastor luterano da Alemanha Livre (Hamburgo) para a igreja de Quitzow, em Perleberg, na Alemanha comunista. E aprendeu a falar russo de forma fluente.

Abreviemos: licenciou-se em física quântica e zás! Virou-se para a política.

black and blue electric fireplace

E agora? Depois de ter comprometido a coesão da União Europeia… de nos entalar a todos?

Está no bem-bom da Fundação Calouste Gulbenkian com mais oito jurados do tal Prémio para a Humanidade.

Senhores da Fundação, tenham mas é humanidade, e ajudem, com esse dinheiro, as vítimas da política desastrosa da senhora Merkel. E já agora peçam-lhe meças.

José Ramos e Ramos é jornalista (CP 214)


N.D. Os textos de opinião expressam apenas as posições dos seus autores, e podem até estar, em alguns casos, nos antípodas das análises, pensamentos e avaliações do director do PÁGINA UM.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.