Recensão: As conspirações que mudaram o MUndo

O mundo é um lugar interessante, mas cheio de interesses

por Bernardo Almeida // janeiro 9, 2023


Categoria: Cultura

minuto/s restantes

Título

As conspirações que mudaram o Mundo

Autor

FREDERICO DUARTE CARVALHO

Editora (Edição)

Oficina do Livro (Outubro de 2022)

Cotação

15/20

Recensão

“Não há conspirações que mudaram o mundo quando o mundo é já ele todo uma conspiração em andamento perpétuo.”

Vivemos num mundo entre mundos. Por um lado, temos a ilusão da simplicidade entre os bons e os maus e a segurança de ignorarmos quem é quem. Do outro lado desta trincheira existe a real politique, o tentáculo do poder, o nepotismo e a complexidade gerada por jogadores da alta roda do Poder.

É este o tema de fundo deste As conspirações que mudaram o Mundo, numa edição da Oficina do Livro. As conspirações de outrora e de agora e como é feito o jogo de todos os jogos.

Natural da cidade do Porto, Frederico Duarte Carvalho é um jornalista com uma longa carreira, que passou pelas redacções de jornais como o Tal & Qual e o 24 horas, iniciando o seu percurso no diário O Primeiro de Janeiro ainda antes de finalizar os estudos na Escola Superior de Jornalismo na cidade invicta. Tem feito também colaborações pontuais no PÁGINA UM, sobretudo em temáticas históricas. 

Neste seu (já) sétimo livro sob a forma de ensaio, regressa ao tema das conspirações ou mistérios, depois de Eu sei que você sabe: manual de instruções para teorias de conspiração (2003), Oswald Le Winter: poeta & espião (2005), Estado de segredos (2010), Camarate: Sá Carneiro e as armas para o Irão (2012), O Governo Bilderberg (2016) e O último segredo de Fátima (2019).

Este livro é, contudo, uma espécie de obra autobiográfica, que celebra 30 anos de investigação, e onde o autor aproveita para revelar as raízes da sua curiosidade por estas temáticas, entre as piadas do irmão mais velho, os acontecimentos que a televisão mostrava e também uma assinatura de seis meses da revista Time oferecida pelo pai.

Num estilo muito peculiar, Frederico Duarte Carvalho vai também desfiando, ao longo das páginas, as ligações entre acontecimentos e pessoas que à superfície aparentavam ser desconexas, como os casos de Camarate (morte de Sá Carneiro) e o do Irangate. 

Através de testemunhos e conversas que foi colecionando, Frederico Duarte Carvalho oferece-nos assim a possibilidade de cruzar a fronteira entre a conversa ignorante de café e os desconfiados crónicos.

Apesar de um estilo de escrita de fácil assimilação, para a leitura e compreensão de algumas temáticas, convém ter-se algum conhecimento prévio sobre determinados assuntos, como o Clube Bilderberg e as suas mãos cada vez mais visíveis. Neste aspecto, nota-se que Frederico Duarte Carvalho é um expert face ao detalhe da informação recolhida.

Estamos, porém, paradoxalmente, perante um livro mordaz, bastante útil até para quem não quer pôr em causa o seu sistema de crenças ou a forma como olha para o mundo.

Como diz o próprio, “qualquer que seja o ano haverá sempre uma conspiração", porque "este é o mundo onde vivemos, onde a ignorância e secretismo fazem a delícia dos eleitos e poderosos."

Enfim, As conspirações que mudaram o Mundo é um bom livro, mas não é um livro bom; é difícil manter-se indiferente depois de o ler.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.

Quase sempre a coloração do fantástico, em Fialho de Almeida (1857-1911), manifesta-se em regime realista, sob duas formas hiperbólicas dos traços ...