Novidades Literárias

Estante P1: Janeiro de 2023

view of floating open book from stacked books in library

por Redacção PÁGINA UM // Fevereiro 8, 2023


Categoria: Cultura

Temas: Estante P1

minuto/s restantes

Título

Negro nunca mais

Autor

George S. Schuyler 

Editora

Tinta da China

Sinopse

A prodigiosa história de um estranho processo médico capaz de transformar a pele negra em pele branca, na América da década de 1930. Uma obra pioneira e cáustica de ficção especulativa, por um dos grandes autores do movimento Renascença de Harlem.

"A obra de George Schuyler não foi recebida sem polémica nos Estados Unidos. A sua imaginativa sátira era um ataque feroz aos mitos da supremacia branca. Mas o autor questionava também os equívocos da pureza racial e das identidades vistas como essências biológicas. Mesmo antes da publicação do romance, em 1931, Schuyler criticava a hipocrisia moral e o enriquecimento ilícito de alguns dos dirigentes do movimento conhecido como Harlem Renaissance ou do movimento chamado Nação do Islão defendido por Malcolm X. Schuyler foi acusado de traição à causa dos seus irmãos negros. […]
Noventa anos depois da sua estreia, Negro Nunca Mais mantém uma pungente actualidade. Permanece intacta a relevância e susceptibilidade do preconceito racial como um assunto que não admite nem ambiguidade nem ligeireza. Uma coisa me parece certa: em muitas redes sociais de hoje George Schuyler seria ‘cancelado’ e a obra definitivamente censurada.
"

Mia Couto, no Prefácio

Título

A pele do tambor

Autor

Arturo Pérezx-Reverte

Editora

Asa

Sinopse

Faltam onze minutos para a meia-noite quando o sistema central do Vaticano é atacado por um vírus informático que divulga uma mensagem sobre uma igreja em Sevilha que "mata para se defender". O enigma agita os serviços de informação, que se empenham como nunca em descobrir a identidade do hacker.

Lorenzo Quart, padre “fiável como um canivete suíço”, parte com a missão de investigar a igreja envolvida na polémica e depara-se com uma realidade mais complexa do que esperava. Há o velho padre e o seu jovem acólito; a mulher adúltera de olhos cor de mel; a freira americana que está a restaurar as obras de arte da igreja; um banqueiro ciumento; três pitorescos bandidos; vários homens de negócios e até mesmo o arcebispo de Sevilha.

Uma obra na qual pulsam o mistério e a intriga, a tensão dramática e as paixões humanas. A pele do tambor é um testemunho do amor de Pérez-Reverte pela Arte, a História, e a belíssima cidade de Sevilha.

Título

A mandíbula de Caim

Autor

Torquemada 

Editora

Lua de Papel

Sinopse

Seis assassinatos. Cem páginas. Milhões de combinações possíveis… Mas apenas uma está certa. Será que consegue solucionar o mistério?

Em 1934, o autor das palavras cruzadas crípticas do jornal inglês The Observer, Edward Powys Mathers (conhecido pelo pseudónimo Torquemada), publicou um romance que é, ao mesmo tempo, um mistério policial e o mais difícil puzzle literário escrito até hoje. As páginas foram impressas numa ordem completamente aleatória, sendo no entanto possível – através da lógica e de uma leitura inteligente – ordená-las corretamente, revelando assim as seis vítimas de assassinato e respetivos assassinos.

Até hoje, apenas três pessoas conseguiram resolver o mistério de A mandíbula de Caim: será capaz de se juntar à elite mundial dos amantes de puzzles literários?

Título

Vozdevelha 

Autora

Elisa Victoria

Editora

Dom Quixote

Sinopse

Tem nove anos. Chama-se Marina, mas na escola tratam-na por Vozdevelha, porque nem sempre tem uma relação fácil com os da sua idade. Este verão em Sevilha, o primeiro depois da Expo’92, está a ser tão comprido e seco que ela não sabe se há de rir, se há de chorar; se quer que tudo mude ou que tudo fique na mesma.

Porque, embora ainda brinque com bonecas, já folheia revistas para adultos, já sabe o que são beijos de namorados, já pensa na sua primeira vez com palavras que não se dizem em público. Porque tem a mãe muito doente e já se está a imaginar num internato, rodeada de freiras e órfãs – até a obrigaram a batizar-se para o caso de ser preciso. Porque o pai desapareceu há cinco anos e a sua melhor amiga é a avó, que lhe faz petiscos, a deixa ver televisão até às tantas, lhe fala da sua paixão por Felipe González, dorme na cama com ela e lhe costura vestidos de sevilhana ou às flores. Os desejos e os medos de Marina aparecem sempre misturados.

Terno e autêntico, Vozdevelha é um romance fulgurante sobre uma criança muito inteligente num mundo às vezes tão estúpido e, ao mesmo tempo, um retrato nada condescendente dos habitantes das periferias e dos bairros operários da Europa do Sul no final do século XX. Como diz a escritora Elvira Lindo: inesquecível.

Título

Os órfãos do Führer

Autor

David Laws

Editora

Casa das Letras

Sinopse

Numa área industrial da cidade de Munique, durante a guerra, 27 crianças sozinhas, esfomeadas e amedrontadas escondem-se da Gestapo. Os pais foram mandados para campos de concentração e elas não têm para onde ir.

Claudia Kellner, uma professora, descobre o grupo numa altura em que abriga em sua casa duas vítimas do regime que não têm para onde ir, arriscando a própria segurança para as proteger.

Entretanto, Peter Chesham, um espião britânico, consegue introduzir-se no território do Terceiro Reich com uma missão ultrassecreta. No entanto, esta missão é posta em risco quando ele próprio descobre o lugar onde se escondem os órfãos.

Se não abdicar da sua missão, esta acabará por ter consequências fatais para todos os que o rodeiam, mas se o fizer a Alemanha nazi poderá ganhar a guerra. Peter enfrenta por isso um dilema dilacerante: obedecer às ordens ou salvar as crianças.

Acabará Peter por dirigir a operação de salvamento ou levará a cabo a missão com que saiu de Inglaterra?

O que escolher poderá decidir o futuro da Europa.

Título

O rei traidor

Autor

Andrew Lownie

Editora

Casa das Letras

Sinopse

Com base em arquivos recentemente abertos, o biógrafo bestsellerseller Andrew Lownie, conta-nos a história das vidas fulgurantes do duque e da duquesa de Windsor, após Eduardo VIII ter abdicado do mundo da realeza – um mundo cheio de traição e deslealdade.

Foi a 11 de dezembro de 1936 que Eduardo VIII, rei de Inglaterra, renunciou à coroa e seus correspondentes deveres por amor a Wallis Simpson, divorciada americana. Perseguidos por controvérsia e escândalo, apenas poderiam ser felizes para sempre com a abdicação de Eduardo. Mas será que foram?

Esta biografia dupla revela a vida dramática dos Windsor após a renúncia ao trono, contando a história de um membro real afastado pela sua família e forçado ao exílio. Desvendando as tentativas nazis de recrutar o duque e as razões pelas quais o mesmo, como governador das Bahamas, tentou arquivar a investigação sobre o assassinato de um amigo próximo, esta biografia relata a história de um casal obcecado pelo seu estatuto, beneficiando financeiramente da sua posição, enquanto se retrata como vítima através da manipulação dos meios de comunicação social.

Título

Descobrimentos e outras ideias politicamente incorrectas 

Autor

João Pedro Marques 

Editora

Guerra & Paz

Sinopse

Irá Lisboa ter um Museu das Descobertas, como foi prometido, ou continuará essa promessa a ser travada pelo clamor dos radicais de esquerda? Irão esses mesmos radicais prosseguir a sua campanha de desinformação acerca do envolvimento de Portugal na escravatura? Continuarão a querer demolir alguns monumentos e estátuas, bem como alterar os livros escolares e a nossa linguagem do dia-a-dia? E como responderemos nós a essas e a outras pressões? Iremos resistir-lhes ou iremos ceder-lhes, modificando, por exemplo, os programas da disciplina de História do secundário para as satisfazer? Essas são algumas das questões levantadas e respondidas em Descobrimentos e Outras Ideias Politicamente Incorrectas. Este livro é um combate contra os apologistas e praticantes do pensamento politicamente correcto, que são os mesmos que têm aversão mental aos Descobrimentos e ao Império, e que flagelam Portugal com o tema da escravatura, esforçando-se por transpor essa flagelação para o nosso ensino secundário.

Título

8 regras do amor

Autor

Jay Shetty

Editora

Albatroz

Sinopse

Ninguém nos ensina a amar. Por isso, muitas vezes atiramo-nos para as relações munidos apenas da sabedoria adquirida através das comédias românticas e da cultura pop a que somos expostos. Mas não tem de ser assim.

Jay Shetty não acredita que o amor seja um conceito transcendente ou uma coleção de clichés. Em vez disso, defende que há passos que podemos dar para o fortalecermos e para o vivermos plenamente.

Inspirado na tradição védica e no conhecimento científico atual, o autor guia-nos pelo ciclo de uma vida a dois – os primeiros encontros, a partilha de casa, as vitórias e as derrotas – e mostra-nos como podemos evitar manter um relacionamento que não nos traz felicidade e como uma separação é também um recomeço.

Com este livro absolutamente transformador, Jay Shetty revela que, se observarmos as oito regras do amor, seremos capazes de sentir um amor maior e mais puro - por nós mesmos, pelos outros e pelo mundo.

Título

Absalão, Absalão!

Autor

William Faulkner

Editora

Dom Quixote

Sinopse

Absalão, Absalão! é considerada a obra maior de William Faulkner.

Na dramática textura desta história do desenvolvimento e decadência da plantação de Sutpen’s Hundred, e da família que o demoníaco Thomas Sutpen trouxe ao mundo uma geração antes da Guerra Civil americana, ouvimos o lamento pelo esplendor perdido do Sul dos Estados Unidos. Desde a sua magnífica e corajosa criação, quando, com a ajuda de negros, o fundador da grande plantação aparece do nada para tornar suas aquelas terras e nelas construir a sua mansão, passando pela Guerra Civil e a destruição que causou, até aos monótonos primórdios do novo Sul, a narrativa é colorida pelo imaginário brilhante do autor e pela sua prosa mágica e poderosa.

A história, com todas as suas ramificações, é cristalizada na cabeça de um parente desta estranha família, o jovem Quentin Compson, um estudante de Harvard. E, no final aterrorizador e abrupto, resta na casa em ruínas apenas o filho moribundo do seu construtor, uma velha negra que foi sua escrava e o idiota mulato que acabará por ser o único descendente direto do sangue Sutpen.

Título

Prática democrática e inclusão política: origens da clivagem ibérica

Autor

Robert M. Fishman

Editora

Tinta da China

Sinopse

A partir dos casos de Portugal e de Espanha, Robert M. Fishman, um dos mais destacados sociólogos políticos norte-americanos, propõe uma teoria inovadora sobre a amplitude da inclusão democrática, e retira conclusões sobre as democracias em todo o mundo.

Prática Democrática analisa o impacto que a história política e cultural destes países teve no processo de viragem para a democracia e no modelo político que cada um adotou, com destaque para a divergência de pressupostos democráticos e de relacionamento entre os atores políticos. Com dados factuais minuciosos, Fishman evidencia as grandes vantagens que as democracias contemporâneas podem retirar de uma abordagem inclusiva, em que todos, incluindo os pobres e excluídos, saem beneficiados.

Título

A fera na selva

Autor

Henry James

Editora

Dom Quixote

Sinopse

Um segredo une o casal de amigos John Marcher e May Bartram.

Depois de se terem conhecido em Itália e passado dez anos sem qualquer contacto, um reencontro inesperado numa visita à mansão de Weatherend faz com que retomem a amizade que julgavam perdida. May irá, a partir de então, acompanhar as expectativas de John, que espera que um acontecimento raro e grandioso se dê na sua vida, e dispõe-se a esperar com ele. Um sentimento de amor implícito entre ambos atravessa toda a narrativa, cuja trama, passada na Inglaterra do final do século XIX, propicia ao leitor uma infinidade de interpretações sobre a real história de A Fera na Selva.

Justamente considerada um dos momentos mais altos da obra de Henry James, esta novela devastadora e comovente aborda temas universais – o amor, a solidão, a morte e o sentido da vida – de uma forma admirável e inesquecível para qualquer leitor que se cruze com ela. Não é por isso de admirar que este pequeno texto seja um dos grandes clássicos da literatura de todos os tempos.

Título

A teia do Banif

Autor

António José Vilela

Editora

Casa das Letras

Sinopse

Em A teia do Banif, são reveladas histórias secretas do caso Banif através de centenas de documentos inéditos, escutas telefónicas e e-mails confidenciais — muitos deles dispersos em dezenas de volumosos inquéritos-crime. Uma viagem de 15 anos aos acordos de cavalheiros, ao tráfico de influências, aos offshores do dinheiro clandestino, às toupeiras na Polícia Judiciária e no Ministério Público, ao plano para dominar o primeiro banco português e aos bastidores das investigações judiciais portuguesas à elite política e económica angolana.

Esta é a outra história de um banco maldito (e do Millennium BCP, BPI, BPA Atlântico e Eurobic e dos seus banqueiros) que terá lavado mais de 1,5 mil milhões de euros. E que acabou intervencionado e vendido pelo Estado português arrastando investidores privados e muito dinheiro público. Um caso que ainda hoje se encontra sob investigação da justiça portuguesa.

Título

70072: a menina que não sabia odiar

Autora

Lidia Maksymowicz

Editora

Porto Editora

Sinopse

Lidia Maksymowicz tinha três anos quando, em dezembro de 1943, entrou com a mãe no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, onde foi marcada com o n.º 70072. Durante treze meses, sobreviveu àquele inferno como uma das pequenas cobaias de Josef Mengele, conhecido como "o Anjo da Morte"

Em janeiro de 1945, após a libertação, sai de Auschwitz na companhia de uma mulher polaca, que decidiu adotar um dos "órfãos" deixados num local repleto de cadáveres.

É na casa desta mulher que Lidia vive e cresce. No entanto, a pequena sobrevivente não esquece o seu nome nem a mãe biológica: não deixa de acreditar que a mãe está viva, nem de a procurar. E, de forma quase miraculosa, as duas irão reencontrar-se, 17 anos depois.

Do campo de concentração, Lidia recorda-se do silêncio necessário para sobreviver, sem poder sequer permitir-se uma emoção. Hoje, volvidos quase oitenta anos da sua prisão, dedica-se a preservar a memória do Holocausto, testemunhando "o que foi o Mal e que o Bem pode sempre prevalecer".

Título

Retrato do artista quando jovem

Autor

James Joyce

Editora

Livros do Brasil

Sinopse

"Não continuarei a servir aquilo em que já não acredito, chame-se meu lar, minha pátria ou minha religião. E tratarei de exprimir-me em algum modo de vida ou de arte tão livremente como possa, tão plenamente como possa, usando para minha defesa as únicas armas que me permito usar: silêncio, exílio e astúcia."

Parte do tríptico a que pertencem também Ulisses e Finnegans Wake, Retrato do artista quando jovem aborda a formação espiritual do adolescente irlandês Stephan Dedalus e o processo de rebeldia em relação à rígida educação católica a que está sujeito. Se em Ulisses a descoberta se faz sobretudo pelo tempo, aqui é o espaço que representa o campo de exploração. 

Dublin surge como a cidade labiríntica cujas ruas, pontes, passeios e portas simbolizam os meandros do subconsciente de um jovem incompreendido e magoado, em busca da sua liberdade. Inteligente, irónico e pleno de sensibilidade, este foi o primeiro romance publicado por James Joyce, em 1916, anunciando uma originalidade que marcaria para sempre a história da literatura.

Título

Tudo o que não precisa de saber sobre a vida

Autor

Jerome K. Jerome

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

Um livro bem-humorado e divertido, que reflete (pouco) sobre o sentido da vida, o amor, a medicina, o trabalho, as crianças, as relações, as férias de verão, a boémia, a amizade, os afetos e as boas memórias dos tempos já idos.

Tendo um ou dois amigos a quem mostrei o manuscrito destes textos considerado que os ditos não estavam mal de todo, e tendo alguns dos meus parentes prometido comprar o livro se ele um dia fosse editado, sinto que não tenho o direito de adiar a sua publicação. Não fosse esta exigência do público, por assim dizer, talvez não me tivesse aventurado a oferecer estes singelos pensamentos como alimento mental a todos os povos da Terra. O que os leitores esperam atualmente de um livro é que ele os melhore, instrua e lhes eleve o espírito.

Este livro não elevaria sequer o espírito de uma vaca. Não posso, em toda a consciência, recomendá-lo como sendo possuidor de qualquer utilidade. Tudo o que posso sugerir é que o leitor, tendo-se cansado de ler "os cem melhores livros de sempre", passe uma meia hora do seu tempo com este. Não voltará a ser o mesmo. Jerome K. Jerome é o autor do livro Três homens num barco que foi considerado pelo jornal The Guardian, um dos 100 melhores romances de sempre e, pela revista Esquire, um dos 20 livros mais divertidos alguma vez escritos.

Título

Bitcoin, blockchain e criptomoedas

Autor

Neel Metha, Adi Agashe e Parth Detroja

Editora

Alma do Livros

Sinopse

Por todo o mundo, as pessoas estão entusiasmadas com a blockchain e a sua tecnologia irmã, as criptomoedas (e entre elas, a mais conhecida, a Bitcoin). Milhões de pessoas, empresas de todo o mundo e governos têm investimentos em criptomoedas e estão a utilizar a tecnologia blockchain. A Bitcoin, a blockchain e as criptomoedas são já uma certeza e vieram para ficar.

O famoso capitalista de risco Marc Andreessen disse que "A tecnologia blockchain é a invenção mais importante desde a Internet" e os analistas de todo o mundo acreditam que as criptomoedas irão revolucionar o dinheiro e a tecnologia tal como os conhecemos. 

No meio da incerteza financeira mundial e da crise do setor bancário é impossível negar os benefícios que daí podem advir. A Bitcoin é hoje uma moeda global inovadora que permite, pela primeira vez, que um utilizador da Internet transfira um objeto único de propriedade digital para outro utilizador, de tal forma que a transferência seja garantida como segura e protegida, todos saibam que a transferência ocorreu e ninguém possa contestar a sua legitimidade.

Se pudermos aprender o mais rapidamente possível como tudo funciona, como comprar, trocar e usar criptomoedas, melhor. O futuro digital vai rapidamente bater à nossa porta e a nós resta-nos saber como lidar e beneficiar com ele. Neste livro vai encontrar todas as respostas que precisa de saber e ficar inteiramente esclarecido sobre como será o futuro do dinheiro e a nova economia digital. 

Título

Os erros da História

Autor

David Mountain

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

Como é construída a História? Quem definiu quais os acontecimentos mais relevantes? Quem interpretou os factos? Quem decidiu o que era realmente importante? E se aquilo que nos contaram for apenas uma parte, a versão dominante, resultante da lei do mais forte e contada apenas pelos vencedores?

As histórias que contamos sobre o nosso passado importam. Contudo, essas histórias foram moldadas por fantasias, preconceitos e interpretações incorretas que deturparam capítulos inteiros da história real, apagaram protagonistas e forjaram civilizações.

Os museus estão cheios de esculturas clássicas brancas, pois ao longo dos anos ignorámos as evidências de que, originalmente, foram pintadas com cores vivas. Os "homens das cavernas" não viviam em cavernas. A transição das sociedades nómadas para as sociedades agrárias não era inevitável nem aconteceu de um dia para o outro. Os povos "bárbaros" tinham, na realidade, complexos códigos de leis e costumes polidos. A Idade Média esteve longe de ser uma obscura idade das trevas. 

Explorando alguns dos maiores mitos, mistérios e equívocos sobre o passado - desde os legados de figuras como Pitágoras e Cristóvão Colombo, às escavações arqueológicas que mudaram a nossa compreensão do nascimento da civilização -, David Mountain revela como as revoluções em curso na História e na Arqueologia estão, finalmente, a iluminar a verdade.

Título

A psicologia das massas

Autor

Gustave de Bon

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

O comportamento e a mente dos indivíduos quando estão em grupo é absolutamente distinto do seu comportamento quando agem e pensam isoladamente.

Gustave Le Bon é um dos fundadores da psicologia social e neste livro introduz o importante tópico da psicologia do comportamento coletivo. A sua tese fundamental é de que o indivíduo sofre uma transformação radical quando imerso num grupo.

A psicologia das massas foi publicado em todo o Mundo em edições sucessivas e tornou-se um clássico instantâneo, sendo traduzido em mais de 20 idiomas e aplaudido em todo o mundo. Algumas das ideias presentes neste livro tornaram-se evidentes, de forma bastante perturbadora, ao longo dos últimos anos: tais como o potencial autoritário latente em determinados estados e o processo global de redução da privacidade dos indivíduos.

Neste livro é explicado o comportamento irracional das massas, a impulsividade e a pobreza da razão presentes numa multidão comum, e ainda o estado de hipnose frenética em que se encontram as pessoas em grandes massas humanas. É uma leitura altamente recomendada para qualquer pessoa interessada no estudo do comportamento social e humano, que deve necessariamente ser feita com espírito crítico, mas cujas ideias são, cada vez mais, dignas de reflexão.

Um clássico essencial para compreender a natureza irracional dos humanos inseridos em grupos coletivos.

Título

Que a vida nos oiça

Autor

Vicente Alves dos Ó

Editora

Oficina do Livro

Sinopse

Vasco é realizador de cinema, tem um filme novo para estrear e não sabe o que fazer com o futuro.

A braços com uma crise de meia-idade, é apanhado de surpresa quando a mãe, com quem tem uma relação moldada por uma tragédia familiar e pelo divórcio dos pais, vem ao seu encontro para lhe contar que sofre de Alzheimer.

Abalado pela notícia, Vasco começa a trabalhar na ideia de um filme sobre a vida da mãe, para que ela consiga recordar o seu passado quando a memória começar a falhar. No entanto, durante o processo de investigação para esta biografia em forma de cinema, o realizador descobre uma história escondida que põe em causa as suas próprias raízes. Vasco inicia então uma autêntica aventura à procura da verdade, que tem tanto de real como de cinematográfica.

Título

Meu Portugal brasileiro

Autor

José Jorge Letria

Editora

Guerra & Paz

Sinopse

Na História de Portugal, encontramos mitos para todos os gostos. Desde a escola náutica de Sagres que nunca existiu, ao pioneiro Viriato, que, em boa verdade, andou mais pela Andaluzia do que pela Serra da Estrela. Já para não falar da padeira de Aljubarrota, tão façanhuda como insubstancial.

As inverdades e mentiras na nossa História são, elas próprias, uma história sem fim, que se estende até tempos bem mais recentes. Ainda hoje há quem acredite que, em 1975, Portugal esteve à beira de uma guerra civil e que só a vitória das forças democráticas no golpe militar de 25 de Novembro desse ano reconduziu o pais ao bom caminho.

Só que esta tese é tão historicamente informada como dizer que Portugal começou com um filho a bater na mãe… Viajemos, pois, ao encontro dos mitos da Historia de Portugal.

Título

Contos cruéis

Autor

Villiers L'Isle-Adam

Editora

Cavalo de Ferro

Sinopse

Nova tradução, em versão integral pela primeira vez, de um dos grandes clássicos da literatura europeia do século XIX. Uma obra marcante de Villiers de L'Isle-Adam, nome incontornável das letras francesas. Floresce a era do progresso científico, do positivismo e do materialismo.

Os escritores observam, relatam, criticam, sonham. Uns descrevem o real, outros dedicam-se ao culto da Arte pela Arte, outros ainda, dotados de furor pessimista, encarniçam-se contra a sociedade burguesa e a sua falsa moral. Villiers de L'Isle-Adam, contemporâneo de Charles Baudelaire e de Edgar Allan Poe, é um dos seus mais acérrimos críticos, denunciando o vazio de ideias e o conformismo em seu redor. Escreve pequenas obras-primas, ferozes e eruditas, que enaltecem o Ideal, o Sonho, o Espírito.

São contos fantásticos, contos de amor, narrativas históricas, textos satíricos, acolhidos com admiração pelos seus pares, todos eles gizados numa prosa carregada de ironia, revelando a face mais hedionda da natureza humana e do mundo moderno.

Pela primeira vez traduzida na íntegra para língua portuguesa, Contos cruéis (1883), de Villiers de L'Isle-Adam, uma das figuras mais originais das letras francesas da segunda metade do século XIX, é uma obra de difícil classificação que exerceu uma profunda influência na literatura fantástica do século XX.

Título

Galileu em Pádua

Autor

Alessandro De Angelis

Editora

Gradiva

Sinopse

Quando, aos 28 anos, Galileu Galilei obtém a prestigiante cátedra de Matemática da Universidade de Pádua, tem tanta fama de cientista genial como de pessoa conflituosa.

Não se licenciou, bebe demasiado, frequenta bordéis; um pequeno poema grosseiro contra os professores custou-lhe a renovação do contrato em Pisa, enquanto em Bolonha mentiu sobre o seu currículo. E, no entanto - sem descuidar os prazeres da vida, que adorará partilhar com o amigo Sagredo -, em Pádua, Galileu fará a sua entrada no milieu da cultura e da política mundial; verá nascer os seus três filhos; e apontará o cannocchiale para o céu nas suas primeiras observações, que mudarão a História do Mundo. 

Alessandro de Angelis revela um Galileu pouco conhecido, imperfeito, memorável, num livro que, assentando numa rigorosa pesquisa história, joga com os mundos da ficção e da não ficção e narra os dezoito anos desregrados e tempestuosos que Galileu definirá como os melhores da minha vida.

Título

O homem sentimental

Autor

Javier Marías

Editora

Alfaguara

Sinopse

Decorreram quatro anos desde que o cantor lírico León de Nápoles viu pela primeira vez, no comboio entre Veneza e Madrid, Natalia Manur, acompanhada pelo marido, um abastado banqueiro, e pelo misterioso Dato. É nessa carruagem e entre estas quatro personagens que começa uma história de paixões levada até às últimas consequências.

Em torno dos protagonistas, gravitam outras figuras: uma prostituta sempre com pressa, uma antiga estrela da ópera, um meticuloso viúvo, um velho amor. Quem será, no fim de contas, o «homem sentimental»?

Um artista e pensador, ou um homem de negócios e de ação? Frequentemente comparado com obras de Proust e de Unamuno - pelo refinamento literário e pela engenhosa construção das personagens e do enredo - O homem sentimental é um romance de amor em que o amor não é visto nem vivido, mas antes intuído e relembrado, como se a sua essência fosse a melancolia e o mistério.

Uma história cujo ritmo se acelera progressivamente, atravessada pela habitual ironia fina de Javier Marías, que a conduz a um imprevisível desfecho.

Título

Quem sai aos seus

Autora

Liane Moriarty

Editora

Asa

Sinopse

Vista de fora, a família Delaney é perfeita. Joy e o marido, Stan, são treinadores de ténis famosos e arrasam nos courts e fora deles. Os seus quatro filhos - Amy, Logan, Troy e Brooke - já são independentes. Após vidas ativas tão intensas, Joy e Stan decidem vender a sua reputada academia de ténis e desfrutar da tranquilidade da reforma.

Mas quando uma mulher misteriosa entra inesperadamente na vida do casal e Joy desaparece sem explicação, deixando apenas uma mensagem enigmática, tudo é subitamente posto em causa.

A polícia interroga Stan. Para alguém que se diz inocente, o marido parece ter muito a esconder. Dois dos filhos acreditam na inocência do pai, mas os outros dois não têm assim tanta certeza. Divididos, eles têm pela frente o desafio mais duro e a pergunta mais arrepiante das suas vidas: será que alguma vez conheceram verdadeiramente os pais?

Está na hora de os irmãos Delaney reavaliarem a história da família…

Os direitos para TV de Quem Sai aos Seus foram já adquiridos, após o estrondoso sucesso das adaptações televisivas das obras da mesma autora: Pequenas grandes mentiras e Nove perfeitos desconhecidos (ambas protagonizadas por Nicole Kidman).

Título

As emoções de Leopoldo

Autora

Deborah Marcero

Editora

Fábula

Sinopse

O Leopoldo não gosta de sentir medo. Nem tristeza, raiva, solidão ou vergonha.

Por isso, tem uma ideia: guardar essas emoções em frascos, bem fechados, para não o perturbarem.

Este livro maravilhoso, da mesma autora de Os tesouros do Leopoldo, pode contribuir para o processo de aprender a controlar as nossas emoções, pelo qual todos temos de passar.

Título

Não obedeças mais

Autor

Gustavo Santos

Editora

Alma dos Livros

Recensão

Quando iniciei a minha aventura literária a minha missão era levar amor-próprio a quem me lia. Não era, não é, e nunca será, ser aceite ou aclamado por todos.

Com este livro aprofundo a necessidade de cada um se comprometer com a sua própria verdade, de forma que atinja a liberdade ilimitada que tem e que ninguém lhe pode dar ou roubar.

Para isso há que tirar o medo da vontade, há que enfrentar o S.I.S.T.E.M.A., olhos nos olhos, porque se há um ponto fraco do medo, é, sem sombra de dúvida, ser olhado de frente.

Nestas páginas, viverás o teu combate pessoal. Serás tão abanado como acolhido. Sentir-te-ás tão só como acompanhado; tão cansado como renovado; tão revoltado como apaziguado.

Podem dizer que é polémico. Mas, também, num mundo cheio de mentiras, qualquer verdade é polémica.

Título

Sul

Autor

Ernest Shackleton

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

Ano de 1914. Enquanto a sombra da guerra cai sobre a Europa, um grupo liderado pelo experiente explorador Ernest Shackleton propõe-se atravessar pela primeira vez o continente antártico. A distância de aproximadamente 2900 quilómetros será percorrida, em grande parte, sobre terreno desconhecido.

A determinação inabalável, a lealdade e a resistência deste pequeno grupo de homens, isolado durante quase dois anos nos bastiões do gelo polar, esforçando‑se por levar a cabo a sua missão, são uma narrativa única na história da exploração da Antártida.

Espera-os uma grande aventura de relatos inesquecíveis, dias extenuantes, noites de solidão e experiências únicas. O otimismo inicial é de curta duração e, à medida que uma vasta extensão de gelo envolve o navio no qual viajam apertando-o até quebrar, a tripulação de 28 homens é abandonada à sobrevivência na imensidão do gelo polar.

Numa luta épica contra os elementos, Shackleton lidera a sua equipa numa busca angustiante pela sobrevivência nalguns dos terrenos mais inóspitos do mundo. Mares gelados e tempestuosos cheios de ondas gigantes, icebergues colossais, um frio atroz que não lhes dá tréguas e a fome sempre iminente são os inimigos mortais destes homens que lutam a todo o custo para permanecer vivos.

A sua viagem será para sempre recordada como prova da força de vontade e do poder da resistência humana.

Título

A arte de vencer uma discussão sem precisar de ter razão

Autor

Arthur Schopenhauer

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

Acontece com frequência uma pessoa estar objetivamente certa e, no entanto, aos olhos dos outros e, às vezes, aos seus próprios, sair-se pior numa discussão, sendo confundida ou refutada por argumentos meramente superficiais.

Por exemplo, apresenta uma prova de alguma afirmação, mas o seu adversário refuta-a e, assim, parece ter refutado a afirmação para a qual, no entanto, pode haver outras provas. Neste caso, é claro, o adversário e a pessoa trocam de lugar – ele sai-se melhor, embora, na verdade, esteja errado.

Assim, a vitória numa disputa deve-se muitas vezes não tanto à correção de um julgamento ao declarar uma afirmação, mas sim à astúcia e à argumentação com que ela foi defendida.

Se o leitor perguntar como é que isto acontece, respondemos que é simplesmente a vileza natural da natureza humana. Se a natureza humana fosse inteiramente honrada, não deveríamos, em nenhum debate, ter outro objetivo que não a descoberta da verdade.

Para vencer uma discussão não é fundamental ter razão, é apenas necessária a arte e o engenho de refutar as afirmações do adversário e conduzir a audiência a tomar o seu partido.

A arte de vencer uma discussão sem precisar de ter razão é a arte de disputar uma conversa de modo a ganhar a contenda mantendo o seu ponto de vista, independentemente de estar certo ou errado.

Arthur Schopenhauer propõe explicar de que maneira podemos fazer com que as nossas ideias tenham sucesso apesar da sua falsidade ou da sua inconsistência. O filósofo precursor do pessimismo aponta que a verdade objetiva de uma afirmação e a sua aprovação por aqueles que a discutem não são a mesma coisa. Devido à perversidade natural do ser humano, nas disputas quotidianas, de facto, o objetivo não é a descoberta da verdade, mas sim o desejo fútil de ter razão.

Título

O homem que plantava árvores

Autor

Jean Giono

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

Uma parábola sobre a missão do ser humano no planeta e das virtudes da sua ação positiva sobre o meio onde vive. Conta-nos a história de um homem que, com o seu esforço solitário, constante e paciente, transforma a região onde vive num lugar especial.

Com as próprias mãos e uma generosidade sem limites, faz, do nada, surgir uma floresta inteira – com um ecossistema rico e sustentável. Lembra-nos de como as nossas pequenas ações diárias podem ter um grande impacto com o decorrer dos anos. Um verdadeiro hino de esperança, de generosidade, de fé, de humildade, de perseverança e de amor à vida.

O homem que plantava árvores, de Jean Giono, é uma narrativa breve, mas brilhante, uma verdadeira joia recheada de mensagens ecológicas e humanistas, que alcançou um enorme sucesso mundial. É uma parábola sobre a missão do ser humano no planeta e das virtudes da sua ação positiva sobre o meio onde vive.

Conta-nos a história de um homem que, com o seu esforço solitário, constante e paciente, transforma a região onde vive num lugar especial.

Título

1177 a.C.: O ano em que a civilização colapsou

Autor

Eric H. Cline

Editora

Alma dos Livros

Sinopse

O ano de 1177 a. C. foi um ponto de viragem para o mundo antigo. Grupos conhecidos como Os Povos do Mar invadiram o Egito. O exército e a marinha dos faraós conseguiram vencê-los, mas a vitória enfraqueceu o território, que depressa entrou em declínio, arrastando consigo as civilizações vizinhas.

Depois de séculos de evolução cultural e tecnológica, as regiões mediterrânicas conheceram uma paragem abrupta. Grandes impérios e pequenos reinos colapsaram subitamente. Mas, sozinhos, os Povos do Mar não poderiam ter causado um colapso tão generalizado. O que foi, então, que aconteceu?

Apesar da distância que nos separa dessas civilizações ser superior a três milénios, são maiores os paralelismos do que se possa pensar à partida: embargos económicos, intrigas internacionais, desinformação militar deliberada, rebeliões, migrações e alterações climáticas.

E se estivermos apenas no início de uma outra tempestade perfeita de fatores de stress nas nossas sociedades? Haverá mais eventos cataclísmicos a caminho? Teremos resistência suficiente para ultrapassar o mais que nos for atirado ou caminhamos para o colapso dos múltiplos elementos que compõem a nossa complexa sociedade global?

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.

Entro pela noite. Gato pardo, deslizo pela cidade. Contorno-a. Esgueiro-me pelas estradas que a cintam. A hora vazia convoca os sentidos. ...

Que imagem ficará de repente, se o passado se perder no presente, e te esfumares da minha mente? Bruno Rama é ...