Colaborador do PÁGINA UM distinguido em Portugal com obra Inédita

Lourenço Cazarré vence Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro

por Maria Afonso Peixoto // Janeiro 30, 2024


Categoria: Cultura

Temas: Cultura

minuto/s restantes


O inédito Memória de Simeão Boa Morte e Outros Contos Poéticos, do escritor brasileiro Lourenço Cazarré, é o grande vencedor da 5ª edição do Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro, foi ontem anunciado. O galardão, atribuído em parceria com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, pretende distinguir portugueses e lusodescendentes a residir no estrangeiro. Além de um valor pecuniário (5.000 euros), Cazarré terá esta obra premiada publicada pela chancela da Imprensa Nacional.

Nascido em 1953 na cidade brasileira de Pelotas, no Rio Grande do Sul, Lourenço Cazarré descende de portugueses de Cinfães, uma vila do distrito de Viseu. Os seus avôs emigraram para o outro lado do Atlântico na transição para o século XX. É pai do actor Juliano Cazarré.

Autor de quase meia centena de livros, entre romances, novelas e contos, a sua obra tem sido distinguida no Brasil com vários prémios, dos quais se destacam o Prémio Jabuti de Literatura Infanto-Juvenil (Nadando contra a morte, 1998), o Prémio Biblioteca Nacional (Os filhos do deserto combatem na solidão, em 2018) e o Prémio Paraná de Literatura (Kzar Alexandre, o louco de Pelotas, em 2018).

Lourenço Cazarré

Em 2009, Lourenço Cazarré publicou também ao romance A misteriosa morte de Miguela de Alcazar, que ‘convoca’, como personagens, diversos escritores de livros policiais, e onde se destaca um português, o gerente do hotel onde ocorre um homicídio. Esta obra está agora a ser reescrita em parceria com o director do PÁGINA UM, o também escritor Pedro Almeida Vieira, e publicada em folhetim aos domingos.

Lourenço Cazarré tem também colaborado no PÁGINA UM com diversos textos e ensaios, prevendo-se para breve a publicação de uma resenha sobre um livro de crónicas de Eça de Queirós.

De acordo com o comunicado de imprensa, o Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro, além de homenagear a figura incontornável e exemplar de Ferreira de Castro, pretende reforçar os vínculos de pertença à língua e cultura portuguesas, estimular a participação de portugueses residentes no estrangeiro e lusodescendentes, prestando, assim, às comunidades portuguesas dispersas pelo mundo o justo reconhecimento pelas atividades que desenvolvem nos seus países de acolhimento.

Concorreram à 5ª edição deste prémio um total de 69 candidaturas provenientes da Bélgica, Reino Unido, Estados Unidos da América, Cabo Verde, Brasil, França, Irlanda, Suíça, Espanha, Canadá, Sri Lanka e Portugal.


PÁGINA UM – O jornalismo independente (só) depende dos leitores.

Nascemos em Dezembro de 2021. Acreditamos que a qualidade e independência são valores reconhecidos pelos leitores. Fazemos jornalismo sem medos nem concessões. Não dependemos de grupos económicos nem do Estado. Não temos publicidade. Não temos dívidas. Não fazemos fretes. Fazemos jornalismo para os leitores, mas só sobreviveremos com o seu apoio financeiro. Apoie AQUI, de forma regular ou pontual.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.

Entro pela noite. Gato pardo, deslizo pela cidade. Contorno-a. Esgueiro-me pelas estradas que a cintam. A hora vazia convoca os sentidos. ...

Que imagem ficará de repente, se o passado se perder no presente, e te esfumares da minha mente? Bruno Rama é ...