COISAS & CAUSAS

Comboios chineses vão dar cabo da Europa

black Fayorit typewriter with printer paper

por José Ramos e Ramos // agosto 1, 2022


Categoria: Opinião

minuto/s restantes


A partida de um comboio da China directo para a Europa é uma má notícia, ao contrário do que se poderia imaginar. O comboio, com 100 contentores carregados de mercadorias Made in China, está avaliado em 10 milhões de euros. Serão menos 10 milhões de euros de produtos fabricados na Europa.

A automatização e a deslocalização da produção matará em breve a matriz civilizacional europeia. Os europeus perderão ainda mais postos de trabalho e nem sequer terão dinheiro para pagar 1.5 euros por um jornal diário, como já acontece.

man in black suit jacket

A China enviará 500 destes comboios por ano para Europa. 

O cidadão comum bate palmas por poder comprar “pechisbeques” e certas indústrias comilonas rejubilam por adquirirem peças ao preço da uva mijona.

Europa tem de ser auto-sustentada.

O trabalho não é um direito vago. É um factor social agregador. Um elemento essencial para a saúde mental e sobretudo para a continuação de uma civilização notável de cariz judaico-cristão, com pitada de islamismo.

O comércio é necessário, claro! Os portugueses abriram até grandes rotas ao Mundo. Mas a Europa tem de procurar a sustentabilidade. 

Caso contrário cairá no nosso fatídico buraco da crise de 1383-1385. Quando não tínhamos liderança, morríamos de peste, éramos invadidos de estranhos, definhávamos de fome e não sabíamos da esperança.

Mandemos de volta os comboios chineses. Deixamos de ser preguiçosos e também de sustentar meia dúzia de comilões sem pátria, que querem morrer podres de rico.

José Ramos e Ramos é jornalista (CP 214)


N.D. Os textos de opinião expressam apenas as posições dos seus autores, e podem até estar, em alguns casos, nos antípodas das análises, pensamentos e avaliações do director do PÁGINA UM.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.