ARQUITECTURA DOS SENTIDOS

Tecido: crónica dos materiais

brown and blue wallpaper

minuto/s restantes

Já estivemos bem mais embrulhados, em panos, rodeados por fibras, delicada ou grosseiramente entrançadas, a cobrir todos os objectos e todos os cantos e recantos. Mas eles, os panos, ainda lá estão.

Estão descidos sobre as nossas janelas, estão repousados sob os nossos pés, estão embrulhados em cadeiras e sofás, capturados entre o colchão e a cama, até invisivelmente entalados em recheios de paredes e tectos. Lã de rocha, lã de vidro.

Como a roupa que escolhemos para nos envolver, as casas pedem o carinho do tecido. O abafo de roupa pesada, gramagem alta, ou a frescura de malhas, finas e abertas.

White, Black, and Red Textile

O tecido rodeia-nos, para dar silêncio. Poucos se apercebem que o tecido nos foi sendo retirado das vidas, quando fomos recusando os naperons de crochet que avós tricotavam, para ali pousarem, na televisão, no aparador, na mesa. Despimos as casas, e elas, nuas, se envergonham agora de frio, com gritos a baterem contra a sua pele e a atordoarem-nos os ouvidos.

Deixem a vossa casa vestir-se, e ela absorverá o som, e dar-vos-à sossego.

O fio de algodão em nós, padronizados em matemática, encostavam-se aos vidros para filtrar luz e a temperatura.

O peso ondulado da cortina, em queda junto à parede, guardava-nos o pudor, nos resguardava a intimidade.

leaves, windows wallpaper, 4k wallpaper

O laço do felpo cobrindo o chão em alcatifa.

O ponto apertado do tapete, a fita leve da passadeira.

A nódoa de vinho tinto naquela toalha de mesa.

Os pêlos da gata no canto das mantas, na cama.

O vaivém das flanelas e dos linhos, em picos, nas primaveras e nos outonos.

Pano. E aquele respirar junto com o mundo, no balançar do cósmico vazio.

brown and white rug

E no fim, a mortalha, embrulhem-me em musselina, e enterrem-me de pé, com uma árvore plantada na moleirinha.

Quero sair da terra depois de morta e espreguiçar os braços no ar…

… e no meio, o toque gentil do tecido, subindo o corpo. E só retirado se me puder vestir contigo.

Mariana Santos Martins é arquitecta


N.D. Os textos de opinião expressam apenas as posições dos seus autores, e podem até estar, em alguns casos, nos antípodas das análises, pensamentos e avaliações do director do PÁGINA UM.

O jornalismo independente DEPENDE dos leitores

Gostou do artigo? 

Leia mais artigos em baixo.

Aldous Huxley escreveu: “Há três espécies de inteligência: a inteligência humana, a inteligência animal e a inteligência militar”. Um soldado da ...